fbpx Formação Pedagógica para Docentes | ULisboa

Formação Pedagógica para Docentes

Formação Pedagógica para Docentes

Formação Pedagógica para Docentes

A Universidade de Lisboa (ULisboa), ciente da necessidade de proporcionar oportunidades de discussão e formação pedagógica para os seus docentes, promove um conjunto de ações de formação gratuita com o objetivo de desenvolver conhecimentos e competências pedagógicos.

Share Formação Pedagógica para Docentes

No âmbito da formação pedagógica para docentes, é nosso intuito promover ações de formação que, no contexto em que atualmente vivemos, possam ir ao encontro de necessidades sentidas por parte dos docentes das escolas da Universidade de Lisboa que invariavelmente se viram obrigados a novas práticas, novas rotinas, novas modalidades de ensino. Uma tentativa de resposta ao desafio lançado pelo ensino a distância é o que, de algum modo, procuramos com estas iniciativas.

 

Contactos
Departamento Académico
Núcleo de Formação ao Longo da Vida
Reitoria da Universidade de Lisboa
Alameda da Universidade, 1649-004 Lisboa
Tel.: 210 170 117/118 | Ext.:519 117 | 519 123
E-mail: formacaodocentes@reitoria.ulisboa.pt

 

As inscrições na 2.ª edição de 2024 do programa de Formação Pedagógica para Docentes da ULisboa estão abertas até ao dia 19 de junho de 2024 e destinam-se a todos os Docentes e Investigadores da ULisboa.

Cientes da importância da participação dos Docentes e Investigadores da ULisboa nestas ações de formação, e atendendo à elevada e crescente procura que têm conhecido, a inscrição nas ações de formação foi limitada a um máximo de 3 opções.

 

1. Escrita Académica no Ensino Superior

Nas duas sessões desta procuraremos mapear e sistematizar, ainda que de modo relativamente superficial, um conjunto de problemas em torno da possibilidade de uma escrita académica gratificante e que corresponda às demandas das instituições de Ensino Superior e dos seus intervenientes. Imagino que possamos conversar a partir de um duplo plano: a escrita poderá aqui surgir enquanto instrumento e competência transversal à constituição do estudante universitário e, ao mesmo tempo, como veículo destinado a produzir um professor reflexivo acerca da sua missão.

Esta evidência, que nos aparece como meta ou destino, não pode, no entanto, ser ideada sem uma análise de tipo regressivo e da experiência previamente acumulada que cada um transporta na sua biografia escolar. Daqui resulta uma forte tensão, quando não mesmo uma clivagem, causadora de muitas expetativas frustradas entre os estudantes, e também entre nós docentes. A investigação em Ensino Superior reitera a evidência de que existem muitos bloqueios e fracassos associados à escrita na universidade e à exigência corrente de, através dela, se deverem de produzir trabalhos singulares, inovadores, originais.

  • Calendarização: 24 e 28 de junho
  • Horário: 10h00-12h30
  • N.º de vagas: 20
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 5 horas
  • Formador: Jorge Ramos do Ó

 

2. Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) no Jovem Adulto. Intervenção Psicossocial no Ensino Superior

Esta breve ação de sensibilização tem como objetivo principal aumentar o conhecimento de docentes e não docentes, sobre a PHDA.

A PHDA é uma perturbação do Neurodesenvolvimento e como tal uma condição de natureza crónica que se expressa ao longo da vida em diferentes comportamentos e com um impacto que é, frequentemente, crescente.

Ainda que persista a ideia de que a PHDA é “coisa da infância” esta ideia é um mito que importa contrariar através de ações de formação. Assim, parte desta ação será dedicada a melhor compreender o que é a PHDA, como se expressa na idade adulta e que impacto tem na vida do jovem adulto com ênfase de sua vida universitária.

Organizámos uma ação com um componente teórica inicial sobre a PHDA e depois com uma componente aplicativa sobre medidas psicossociais (pedagógicas, acomodações, intervenção por pares e tutorias) adequadas a uma melhoria da qualidade da vida académica destes estudantes e consequente da sua vida em geral.

  • Calendarização: 27 de junho
  • Horário: 14h00-16h00
  • N.º de vagas: sem limite
  • Modalidade de ensino: remota
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 2 horas
  • Formadora: Ana Rodrigues
     

3. Imagens com IA

Neste workshop vamos explorar como usar a inteligência artificial - mais especificamente o Copilot - para criar imagens para as nossas unidades curriculares, aumentando o impacto visual dos nossos materiais.

1.ª Data:

  • Calendarização: 01 de julho
  • Horário: 10h00-12h00
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 2 horas
  • Formadora: Sofia Sá

2.ª Data:

  • Calendarização: 11 de julho
  • Horário: 14h00-16h00
  • N.º de vagas: 25
  • Modalidade de ensino: remota
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 2 horas
  • Formadora: Sofia Sá

 

4. ChatGPT e Active Learning

A inteligência artificial é já uma realidade para a sociedade e para os/as estudantes e docentes da ULisboa. As preocupações com a sua utilização no Ensino Superior são de vária ordem.

Neste workshop vamos utilizar o ChatGPT na preparação e implementação de diversos momentos ativos nas nossas Unidades Curriculares.

  • Calendarização: 01 de julho
  • Horário: 14h00-16h30
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 2 horas e 30 minutos
  • Formadora: Sofia Sá

 

5. Diversidade, Envolvimento Estudantil e Sucesso Académico

Os estudantes do ensino superior têm vindo a aumentar, tornando-se, ao mesmo tempo, cada vez mais diversos em termos de origens socioeconómicas, etárias e culturais. Tal resulta numa pluralidade de motivações e expectativas dos estudantes relativamente á formação académica. Neste cenário, importa desenhar estratégias que promovam o envolvimento estudantil criando condições mais favoráveis para que todos e todas alcancem o sucesso académico.

  • Calendarização: 03 e 04 de julho
  • Horário: 10h00-12h30
  • N.º de vagas: 20
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 5 horas
  • Formadores: Mariana Gaio Alves, Carolina Carvalho e Benedita Portugal e Melo

 

6. Dislexia - Do Conceito à Inclusão

Dislexia é um termo utilizado há mais de cem anos e, de um modo muito simples, refere-se a uma dificuldade em aprender a ler manifestada por crianças, jovens e adultos que têm uma inteligência normal, que têm motivação para aprender a ler e que estão expostos a adequadas instruções de leitura.

Existem cada vez mais evidências de que a dislexia é uma perturbação do neurodesenvolvimento, que tem as suas origens numa alteração funcional na biologia do cérebro. No entanto, é necessário ter em consideração que esta faceta neurobiológica da dislexia se manifesta em alterações em alguns processos cognitivos e, consequentemente, no modo de aprender.

Tendo em consideração o exposto, os objetivos da presente formação estão orientados, em primeiro lugar, para a compreensão do que é a Dislexia, tanto no que se refere ao que ela é, como na abordagem de algumas conceções erradas. De seguida, é nossa preocupação abordar a identificação dos alunos com Dislexia e suas características. Um terceiro propósito é o de apresentar algumas sugestões e estratégias que devem ser tidas em consideração quando estamos perante alunos com dislexia.

  • Calendarização: 03 de julho
  • Horário: 10h00-12h00
  • N.º de vagas: sem limite
  • Modalidade de ensino: remota
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 2 horas
  • Formador: Vítor Cruz

 

7. Dar aulas a estudantes com deficiência visual no Ensino Superior

Esta breve ação de sensibilização visa principal aumentar o conhecimento de docentes e não docentes, sobre a deficiência visual.

Muitas pessoas ficam na dúvida se usar óculos é ou não uma deficiência visual. De uma forma simples, só se considera que as pessoas têm uma deficiência visual quando mesmo com correção (óculos ou lentes de contacto) as dificuldades em ver subsistem. Por isso será definida a deficiência visual, os diferentes tipos e graus e o seu impacto na aprendizagem.

Depois com uma componente aplicativa sobre medidas concreta para permitir construir materiais de estudo e de apresentação acessíveis a pessoas com problemas de visão, bem como que tipo de apoios e recursos devem ser providenciados e que recursos a ULisboa tem.

  • Calendarização: 04 de julho
  • Horário: 14h00-16h00
  • N.º de vagas: sem limite
  • Modalidade de ensino: remota
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 2 horas
  • Formadora: Cristina Espadinha

 

8. Flash Active Learning

Quando pensamos em Metodologias Ativas imaginamos pontualmente atividades demoradas e complexas de preparar e implementar. Neste workshop iremos abordar atividades Flash: simples na sua planificação, de curta implementação e eficazes no aumento da participação, interesse e atenção d@s estudantes na aula.

1.ª Data:

  • Calendarização: 05 de julho
  • Horário: 10h00-12h30
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: remota
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 2 horas e 30 minutos
  • Formadora: Sofia Sá

2.ª Data:

  • Calendarização: 12 de julho
  • Horário: 14h00-16h30
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 2 horas e 30 minutos
  • Formadora: Sofia Sá

 

9. Quando o Autismo vai para a Universidade

São cada vez mais o número de pessoas com deficiência que se candidatam ao Ensino Superior. Uma percentagem destas pessoas enquadra-se no Espectro do Autismo. Se algumas destas pessoas já foram diagnosticadas anteriormente, ainda assim, os docentes universitários referem a necessidade de serem ajudados a compreender este seu perfil de funcionamento e de como interagir. Esta formação pretende ajudar a ter uma visão mais abrangente e esclarecedora do espectro do autismo e de como implementar algumas estratégias em contexto de sala de aula com estes alunos.

  • Calendarização: 05 de julho
  • Horário: 10h00-12h00
  • N.º de vagas: sem limite
  • Modalidade de ensino: remota
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 2 horas
  • Formador: Pedro Rodrigues

 

10. Literacia da Informação para a Escrita Académica

Incorporar atividades, tarefas e avaliações de aprendizagem que requeiram que os aprendentes articulem necessidades de informação; encontrem informação e recursos em ambientes digitais; organizem, processem, analisem e interpretem informação; e comparem e avaliem criticamente a credibilidade e a fiabilidade da informação e das suas fontes; compreendendo o contexto académico e como poderão contribuir para a comunidade científica através da produção escrita e publicação académica.

  • Calendarização: 08, 09 e 10 de julho
  • Horário: 16h00-18h00
  • N.º de vagas: 40
  • Modalidade de ensino: remota
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 6 horas
  • Formadora: Tatiana Sanches

 

11. Primeira Aula do Semestre

Que objetivos tem a primeira aula do semestre? Quais os seus componentes essenciais? Quais as boas práticas pedagógicas relativas a este primeiro momento? Como podemos estabelecer um clima de aprendizagem positivo desde o início? Neste workshop refletiremos sobre estas e outras questões sobre este marco da relação pedagógica.

  • Calendarização: 09 de setembro
  • Horário: 10h30-12h30
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 2 horas
  • Formador: Sofia Sá
     
Inscreva-se

As inscrições na 2.ª edição de 2024 do programa de Formação Pedagógica para Docentes da ULisboa encontram-se abertas até ao dia 19 de junho de 2024 e destinam-se a todos os Docentes e Investigadores da ULisboa.

Cientes da importância da participação dos Docentes e Investigadores da ULisboa nestas ações de formação, e atendendo à elevada e crescente procura que têm conhecido, a inscrição nas ações de formação foi limitada a um máximo de 3 opções.

Os participantes serão selecionados por ordem de inscrição. Os candidatos que não forem convocados ficarão em lista de espera e serão contactados em caso de eventuais desistências.

 

Inscreva-se Aqui

 

As inscrições na 1.ª edição de 2024 do programa de Formação Pedagógica para Docentes da ULisboa estão abertas até ao dia 27 de dezembro de 2023 e destinam-se a todos os Docentes e Investigadores da ULisboa.

Cientes da importância da participação dos Docentes e Investigadores da ULisboa nestas ações de formação, e atendendo à elevada e crescente procura que têm conhecido, a inscrição nas ações de formação foi limitada a um máximo de 3 opções.

  • ChatGPT& Active Learning: Uma Parceria de Sucesso (ENCERRADA)

A inteligência artificial é já uma realidade para a sociedade e para os/as estudantes e docentes da ULisboa. As preocupações com a sua utilização no Ensino Superior são de vária ordem. 

Neste workshop vamos utilizar o ChatGPT na preparação e implementação de diversos momentos ativos nas nossas Unidades Curriculares.

1.ª Data:

  • Calendarização: 03 de janeiro
  • Horário: 10h00-12h00
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: Computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Sofia Sá

2.ª Data:

  • Calendarização: 05 de janeiro
  • Horário: 14h00-16h00
  • N.º de vagas: 50
  • Modalidade de ensino: remota
  • Requisitos: Computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Sofia Sá
  • Avaliação Objetiva de Apresentações Orais

A apresentação oral de projetos e outros trabalhos, quer individuais quer em grupo, é frequente no Ensino Superior. A sua avaliação objetiva torna-se amiúde um desafio, quer para docentes quer para estudantes. Por um lado, como docentes não somos especialistas em PublicSpeaking para reconhecer e avaliar objetivamente os critérios de sucesso de uma apresentação. Por outro, os instrumentos utilizados frequentemente promovem à partida avaliações subjetivas. Neste workshop iremos refletir em conjunto sobre estratégias e processos que nos permitirão avaliar com mais segurança e justiça os momentos de apresentações orais.

1.ª Data:

  • Calendarização: 03 (presencial), 03 a 12 (assíncrona) e 17 de janeiro (remota)
  • Horário: 14h00-16h00
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial, remota e assíncrona
  • Requisitos: Computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 6 horas
  • Formadores: Sofia Sá

2.ª Data:

  • Calendarização: 05 (remota), 05 a 15 (assíncrona) e 19 de janeiro (remota)
  • Horário: 09h30-11h30
  • N.º de vagas: 50
  • Modalidade de ensino: remota e assíncrona
  • Requisitos: Computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Horas de Formação: 6 horas
  • Formadores: Sofia Sá

Momento 1 Síncrono

Nesta sessão, iremos conhecer instrumentos que permitirão avaliar com mais segurança e justiça os momentos de apresentações orais: as rubricas e as grelhas de comportamentos observáveis.

Momento 2 Assíncrono 

Criação autónoma, com apoio de um vídeo ativo passo a passo, de uma rubrica e de uma grelha de comportamentos observáveis para avaliar objetivamente as apresentações orais, adequada ao contexto de cada um dos docentes.

Momento 3 Síncrono

Sessão de followup e feedback global às rubricas e grelhas construídas pelo grupo formativo. Identificação dos maiores desafios, potencialidades, aspetos positivos e áreas a melhorar.

  • Gravação de Pequenos Vídeos: Potencialidades Pedagógicas e Procedimentos Técnicos

Na era digital em que os nossos alunos e alunas passam partes significativas do seu tempo a ver vídeos curtos, é altura de considerarmos esta poderosa ferramenta como aliada no atingir dos nossos objetivos pedagógicos. Quer para dar feedback a trabalhos, quer para explicar algo pendente, quer noutras situações os pequenos vídeos constituem-se uma ferramenta benéfica.

 Neste workshop abordaremos os princípios e aplicações pedagógicas bem como os principais procedimentos técnicos para gravar vídeos de curta duração.

1.ª Data:

  • Calendarização: 04 de janeiro
  • Horário: 10h00-12h00
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: Computador portátil com Google Chrome instalado
  • Frequência: gratuita
  • Formadores: Sofia Sá

2.ª Data:

  • Calendarização: 04 de janeiro
  • Horário: 14h00-16h00
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: Computador portátil com Google Chrome instalado
  • Frequência: gratuita
  • Formadores: Sofia Sá
  • Jigsaw

A atividade Jigsaw foi desenvolvida no início dos anos 79 por Elliot Aronson e os seus colegas e, desde então, tem se tornado popular em vários níveis de ensino, nomeadamente no superior. Ao promover cooperação entre os diferentes elementos do grupo turma, que se interajudam para alcançar um objetivo comum enquanto trabalham o conteúdo proposto, esta atividade promove competências de colaboração, aprendizagem ativa e participação equalitária dos diversos membros.

Neste workshop vamos abordar os procedimentos, etapas e boas práticas de implementação de Jigsaw nas nossas salas de aula. 

  • Calendarização: 17 de janeiro
  • Horário: 10h00-12h30
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Sofia Sá
  • Metodologias Ativas, Relação Pedagógica e Introversão: Uma Tríade Inesperada

A introversão de docentes e estudantes pode ser vista como um obstáculo à implementação de metodologias ativas no Ensino Superior. Neste workshop, vamos descobrir o que é a introversão, como podemos fazer dela um trunfo em ambientes ativos e como podemos criar um ambiente seguro de participação, tanto para docentes como estudantes, salvaguardando e potenciando a base de toda a aprendizagem: a Relação Pedagógica.

1.ª Data:

  • Calendarização: 17 de janeiro
  • Horário: 14h00-16h00
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Sofia Sá

2.ª Data:

  • Calendarização: 18 de janeiro
  • Horário: 10h00-12h00
  • N.º de vagas: 50
  • Modalidade de ensino: remota
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Sofia Sá
  • Challenge-based Learning

Esta será uma formação teórico-prática que terá como objetivo apresentar o conceito de challenge-basedlearning (CBL), enquadrando as suas principais vantagens e formas de implementação no contexto académico.

A componente prática da formação terá como objetivo consolidar os conceitos apresentados e proporcionar tempo de reflexão e trabalho colaborativo entre os participantes que conduza à definição de estratégias para que estes possam incorporar CBL nas suas unidades curriculares.   

  • Calendarização: 19 de janeiro
  • Horário: 10h00-13h00
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Rita Tomé
  • Ensinar e Aprender com o Digital

A ação de formação propõe a discussão em torno da análise e da reflexão crítica sobre o uso de tecnologias digitais no ensino e na aprendizagem, a partir de exemplos de práticas pedagógicas em diferentes contextos de aulas. É analisada, de modo global, a relação entre as tecnologias e o currículo, com vista a ensinar e promover a aprendizagem no ensino superior.

1.ª Data:

  • Calendarização: 15 de janeiro
  • Horário: 10h00-12h00
  • N.º de vagas: 20
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Joana Viana

2.ª Data:

  • Calendarização: 24 de janeiro
  • Horário: 14h00-16h00
  • N.º de vagas: 20
  • Modalidade de ensino: remota
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Joana Viana
  • Gamificação na Sala de Aula

Esta formação tem como objetivo apresentar as principais tendências e vantagens de implementação de estratégias de gamificação em práticas pedagógicas no ensino superior, dando exemplos concretos e apontando possíveis estratégias para a sua incorporação no contexto de sala de aula. 

  • Calendarização: 25 de janeiro
  • Horário: 10h00-13h00
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Rita Tomé
  • Observação de Aulas entre Pares: Partilha de Práticas, Feedback e Aprendizagem Profissional

A prática pedagógica e os saberes docentes podem ser melhorados através da observação de aulas entre pares, quer a partir do feedback recebido pelo observado, mas também a partir da atividade como observador.

Nesta formação procuraremos:

  1. analisar práticas de observação entre pares, considerando diferentes dimensões, processos e estratégias de observação;
  2. analisar tipos e funções do feedback sobre a prática pedagógica observada.

A observação de aulas entre pares, o feedback e a reflexão constituem práticas indutoras de desenvolvimento profissional docente.

Nota: será dada prioridade aos Docentes que se encontram a frequentar o projeto Observar & Aprender.

  • Calendarização: 30 de janeiro e 02 de fevereiro
  • Horário: 30 de janeiro (16h30-19h00) e 02 de fevereiro (10h00-12h30)
  • N.º de vagas: 20
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Joana Viana
  • Literacia da Informação para a Escrita Académica

Incorporar atividades, tarefas e avaliações de aprendizagem que requeiram que os aprendentes articulem necessidades de informação; encontrem informação e recursos em ambientes digitais; organizem, processem, analisem e interpretem informação; e comparem e avaliem criticamente a credibilidade e a fiabilidade da informação e das suas fontes; compreendendo o contexto académico e como poderão contribuir para a comunidade científica através da produção escrita e publicação académica.

1.ª Data:

  • Calendarização: 05, 06 e 07 de fevereiro
  • Horário: 10h00-12h00
  • N.º de vagas: 25
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Tatiana Sanches

2.ª Data:

  • Calendarização: 14, 15 e 16 de fevereiro
  • Horário: 16h00-18h00
  • N.º de vagas: 40
  • Modalidade de ensino: remota
  • Requisitos: computador portátil
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Tatiana Sanches

Inscreva-se

As inscrições na 1.ª edição de 2024 do programa de Formação Pedagógica para Docentes da ULisboa encontram-se abertas até ao dia 27 de dezembro de 2023 e destinam-se a todos os Docentes e Investigadores da ULisboa.

Cientes da importância da participação dos Docentes e Investigadores da ULisboa nestas ações de formação, e atendendo à elevada e crescente procura que têm conhecido, a inscrição nas ações de formação foi limitada a um máximo de 3 opções.

Os participantes serão selecionados por ordem de inscrição. Os candidatos que não forem convocados ficarão em lista de espera e serão contactados em caso de eventuais desistências.

  • Primeira Aula do Semestre

Que objetivos tem a primeira aula do semestre? Quais os seus componentes essenciais? Quais as boas práticas pedagógicas relativas a este primeiro momento? Como podemos estabelecer um clima de aprendizagem positivo desde o início? Neste workshop refletiremos sobre estas e outras questões sobre este marco da relação pedagógica.

1.ª Data:

  • Calendarização: 04 de setembro
  • Horário: 10h30-12h30
  • N.º de vagas: 40
  • Modalidade de ensino: online
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Sofia Sá

2.ª Data:

  • Calendarização: 08 de setembro
  • Horário: 14h30-16h30
  • N.º de vagas: 30
  • Modalidade de ensino: presencial
  • Frequência: gratuita
  • Formadora: Sofia Sá

Pré-Inscrições

As pré-inscrições decorrem de 31 de julho a 07 de agosto e destinam-se a todos os Docentes e Investigadores da ULisboa.

Observações: Os participantes serão selecionados por ordem de pré-inscrição. Os candidatos que não forem convocados ficarão em lista de espera e serão contactados em caso de eventuais desistências.

Inscreva-se Aqui


A planificação de unidades curriculares é um processo estratégico que envolve diversos processos, nem sempre tranquilo para os/as docentes. Neste workshop vamos distinguir diferentes estratégias da planificação de unidades curriculares centradas no/a estudante, criar resultados e objetivos pedagógicos focados na aprendizagem e relaciona-los com o planeamento de estratégias de ensino aprendizagem e avaliação.

Calendarização: 03 de julho

Horário: 10h00-12h00

N.º de vagas: 30

Modalidade de ensino: presencial

Requisitos: Computador portátil

Frequência: gratuita

Formadora: Sofia Sá


O Mentimeter é uma das plataformas de interação mais intuitivas que podemos utilizar quer em ensino presencial, remoto ou híbrido. A sua configuração, ainda assim, revela-se pontualmente desafiante e existem truques para facilitar o trabalho dos/as docentes que a queiram utilizar. Neste workshop, aprenderemos a criar apresentações dentro do Mentimeter, a criar diferentes tipos de slides e a selecionar as configurações mais adequadas aos objetivos pedagógicos.

Calendarização: 05 de julho

Horário: 14h00-16h00

N.º de vagas: 30

Modalidade de ensino: presencial

Requisitos: Computador portátil

Frequência: gratuita

Formadores: Sofia Sá


Uma rubrica é um instrumento que evidencia uma sistematização do processo avaliativo de um produto de aprendizagem. Facilitam o processo avaliativo, tornando-o mais transparente e promovendo uma maior objetividade e a criação de expectativas realistas por parte de alunos/as e docentes. Neste workshop vamos relacionar o estabelecimento de critérios de avaliação com a criação de rubricas, distinguir os componentes de uma rubrica e enunciar os passos da criação de uma rubrica.

Calendarização: 10 de julho

Horário: 10h30 -12h30

N.º de vagas: 30

Modalidade de ensino: online

Frequência: gratuita

Formadores: Sofia Sá


A comunicação, quer escrita quer oral, é fulcral no estabelecimento da relação professor/aluno. A comunicação positiva é uma abordagem que nos permite criar um ambiente seguro na relação pedagógica e transmitir informações de forma profissional e empática. Neste seminário vamos definir comunicação positiva, listar os seus princípios, analisar exemplos de boas práticas e aplica-las em exemplos específicos da interação em sala de aula.

Calendarização: 17 de julho

Horário: 14h00-16h00

N.º de vagas: 30

Modalidade de ensino: online

Frequência: gratuita

Formadora: Sofia Sá

 

 

  • 6 de janeiro | Google Jamboard

Neste encontro vamos descobrir as potencialidades da utilização do Jamboard – um quadro branco digital gratuito do Google – em trabalhos colaborativos. A formação será predominante prática e iremos utilizar, partilhar e criar templates Jamboard para utilização em sala de aula.

Duração: 2 horas e 30 minutos | 1 sessão

Horário: 10h00-12h30

Modalidade de Formação: online

N.º máximo de participantes por formação: 25

Formador: Sofia Sá

  • 7 de janeiro | Método Interrogativo: Boas Práticas

Good teaching is more a giving of right questions than a giving of right answers. Josef Albers

Como docentes, a realização de perguntas em aula é amiúde frequente e espontânea. Neste encontro, vamos descobrir boas práticas que permitem maximizar os momentos interrogativos.

Duração: 2 horas e 30 minutos | 1 sessão

Horário: 10h00-12h30

Modalidade de Formação: online

N.º máximo de participantes por formação: 50

Formador: Sofia Sá

  • 11 de janeiro | Google Sheets

Neste encontro vamos descobrir as potencialidades da utilização do Google Sheets – uma folha de cálculo online gratuita - em trabalhos colaborativos. A formação será predominante prática e iremos utilizar, partilhar e criar templates Google Sheets para utilização em sala de aula posteriormente, com o grupo de estudantes.

Duração: 2 horas e 30 minutos | 1 sessão

Horário: 10h00-12h30

Modalidade de Formação: online

N.º Máximo de participantes por formação: 25

Formador: Sofia Sá

  • 12 de janeiro | Flipped Learning – Um Início

Neste encontro iremos conhecer os princípios basilares da metodologia Flipped Learning e conhecer um caso de estudo numa unidade curricular.

Duração: 2 horas e 30 minutos | 1 sessão

Horário: 10h00-12h30

Modalidade de Formação: online

N.º Máximo de participantes por formação: 50

Formador: Sofia Sá

  • 13 de janeiro | Google Slides

Neste encontro vamos descobrir as potencialidades da utilização do Google Slides – uma plataforma online gratuita para criar apresentações - em trabalhos colaborativos. A formação será predominante prática e iremos utilizar, partilhar e criar templates Google Slides para utilização em sala de aula, posteriormente, com o grupo de estudantes.

Duração: 2 horas e 30 minutos | 1 sessão

Horário: 10h00-12h30

Modalidade de Formação: online

N.º Máximo de participantes por formação: 25

Formador: Sofia Sá

  • 25 de janeiro | Feedback Pedagógico como ferramenta para o sucesso

It’s the quality of the feedback rather than its existence or absence that determines its power. Stiggins et al, 2004

Como docentes no Ensino Superior o feedback, quer formativo quer sumativo, quer oralmente ou por escrito, é uma tarefa quotidiana. Estaremos a fazê-lo de forma a realmente potenciar aprendizagens? Que boas práticas podemos aplicar? O que diz a investigação sobre este assunto? Neste encontro responderemos a estas e a outras perguntas sobre Feedback no Ensino Superior.

Duração: 2 horas e 30 minutos | 1 sessão

Horário: 10h00-12h30

Modalidade de Formação: online

N.º Máximo de participantes por formação: 50

Formador: Sofia Sá

Valor de cada formação: Gratuito

Candidaturas de 15 a 31 de dezembro de 2021: AQUI

  • Active learning

A utilização de momentos ativos em sala de aula é referida como uma boa prática inegável no Ensino Superior, constando inclusive da lista dos Seven Principles For Good Practice in Undergraduate Education (Chickering & Gamson). Em ensino remoto é possível, em sessões síncronas, planear momentos ativos para potenciar a aprendizagem e aumentar o envolvimento dos estudantes.

Neste workshop, iremos assim distinguir Active de passive learning, identificar estratégias de active learning passíveis de conduzir em aulas síncronas remotas e clarificar a diferença entre Ensino à distância (EaD) e Ensino remoto de emergência (ERE).

Duração: 3 horas | 1 sessão
Calendarização: 1 de fevereiro | 14h00-17h00
Modalidade de Formação: online

Formador: Sofia Sá

  • Zoom 

A plataforma Zoom, utilizada amplamente no ensino síncrono, assume potencialidades que permitem maximizar a eficácia pedagógica nos momentos síncronos. Neste workshop, iremos identificar configurações e funcionalidades úteis na utilização desta plataforma.

Duração: 3 horas
Calendarização:
02 de fevereiro | 10h00-13h00
9 de fevereiro | 10h30 – 13h30
Modalidade de Formação: online
Formador: Sofia Sá

  • Feedback em pequenos vídeos

 “It’s the quality of the feedback rather than its existence or absence that determines its power” (Stiggins et al, 2004). Como docentes no Ensino Superior dar feedback aos alunos, quer formativo quer sumativo, oralmente ou por escrito, é uma tarefa quotidiana. A utilização de tecnologias simples como a gravação de pequenos vídeos aumenta a eficácia desta tarefa, enquanto potencia a conexão com os estudantes, tão necessária no tempo que vivemos. Neste workshop, iremos nomear caraterísticas de um feedback de qualidade, assim como identificar ferramentas que possibilitam a gravação do mesmo em pequenos vídeos.

Duração: 3 horas
Calendarização: 5 de fevereiro | 10h30-13h30
Modalidade de Formação: online

  • Mecanismos de Interação no Zoom: Enquetes e Salas simultâneas

A utilização do Zoom permite-nos interagir com os nossos alunos de diversas formas, sendo os enquetes/questionários uma delas. A sua configuração e utilização em sala representam diversas vantagens, razão pela qual fará todo o sentido conhecer e implementar esta funcionalidade. Por outro lado, as salas simultâneas do Zoom permitem aos/às docentes colocar o grupo-turma a trabalhar em pequenos grupos, facilitando a colaboração e troca de ideias entre os mesmos. Utilizando esta função e todas as suas potencialidades, o/a docente consegue organizar e acompanhar o trabalho dos alunos facilmente. Nesta formação, iremos conhecer os passos para ativar, configurar e utilizar os enquetes e preparar, configurar e conduzir salas simultâneas durante as nossas sessões remotas.

Duração: 3 horas
Calendarização: 10 de fevereiro | 10h00-13h00
Modalidade de Formação: online
Formador: Sofia Sá

  • Mentimeter

O Mentimeter é uma das plataformas de interação mais intuitivas que podemos utilizar quer em ensino presencial, remoto ou híbrido. A sua configuração, ainda assim, revela-se pontualmente desafiante e existem truques para facilitar o trabalho dos/as docentes que a queiram utilizar. Nesta Formação Express, aprenderemos a criar apresentações dentro do Mentimeter, a criar diferentes tipos de slides e a selecionar as configurações mais adequadas aos objetivos pedagógicos.   

Duração: 1h30m
Calendarização: 12 de fevereiro | 10h30-12h00
Modalidade de Formação: online
Formador: Sofia Sá

Sofia Sá é mestre em Psicologia Educacional (especialidade Avaliação de aprendizagens; atualmente a frequentar o PhD Europeu EDITE – European Doctorate in Teacher Education), formadora pedagógica em regime de freelancer na Reitoria ULisboa, Reitoria UPorto, Politécnico de Leiria, Beja, Setúbal e Porto e formadora/consultora de Excel Avançado/ VBA em diversas empresas e institutos públicos. Atualmente Professora Auxiliar Convidada no Instituto Superior Técnico, onde leciona uma Unidade curricular de soft skills no mestrado de Engenharia Informática. Desenvolveu formações técnicas e pedagógicas para alunos e docentes no IST e em outras instituições, conhecendo intimamente o Ensino Superior bem como as questões relacionadas com a aprendizagem, avaliação e dinâmicas educativas.

  • Moodle de Nível Inicial

O Workshop foi concebido para promover competências básicas de utilização da plataforma Moodle, em contextos de ensino e formação, para organizar e estruturar espaços de suporte online a unidades curriculares.

Duração: 3 horas
Calendarização: 4 de fevereiro | 10h00-13h00

  • Moodle de Nível Intermédio

O Workshop foi concebido para promover competências mais avançadas de utilização da plataforma Moodle, em contextos de ensino e formação, nomeadamente através da exploração de ferramentas de comunicação síncrona e assíncrona, criação de inquéritos e questionários, gestão de trabalhos e gestão de notas.

Duração: 3 horas
Calendarização: 11 de fevereiro | 10h00-13h00

  • Criação de Testes no Moodle

O Workshop foi concebido especificamente para explorar o módulo de criação de testes online, utilizando a plataforma Moodle.

Duração: 3 horas
Calendarização: 18 de fevereiro | 10h00-13h00
Modalidade de Formação: online
Formadores: João Piedade e Nuno Dorotea

Para acompanhar o workshop Moodle, cada docente deve usar uma das suas disciplinas no moodle, ou solicitar ao gestor do moodle da sua escola a criação de uma nova disciplina.

Valor de cada formação: Gratuito
N.º Mínimo de participantes por formação: 5
N.º Máximo de participantes por formação: 35
Zoom (ação de 9 de fevereiro): máximo de 50 participantes
Candidaturas de 27 de janeiro a 02 de fevereiro de 2021: aqui

  • Active Learning em ensino remoto síncrono (2.5 Horas) | 22 junho, 14:00 – 16:30

A utilização de momentos ativos em sala de aula é referida como uma boa prática inegável no Ensino Superior, constando inclusive da lista dos Seven Principles For Good Practice in Undergraduate Education (Chickering & Gamson). Em ensino remoto é possível, em sessões síncronas, planear momentos ativos para potenciar a aprendizagem e aumentar o envolvimento dos estudantes.

Neste workshop iremos, assim, distinguir Active de passive learning, identificar estratégias de active learning passíveis de conduzir em aulas síncronas remotas e clarificar a diferença entre Ensino à distância (EaD) e Ensino remoto de emergência (ERE).

  • Como dar Feedback em pequenos vídeos (2.5 Horas) | 24 junho, 10:00 – 12:30

“It’s the quality of the feedback rather than its existence or absence that determines its power” (Stiggins et al, 2004). Como docentes no Ensino Superior dar feedback aos alunos, quer formativo quer sumativo, oralmente ou por escrito, é uma tarefa quotidiana. A utilização de tecnologias simples como a gravação de pequenos vídeos aumenta a eficácia desta tarefa, enquanto potencia a conexão com os estudantes, tão necessária no tempo que vivemos.

Neste workshop iremos, assim, nomear caraterísticas de um feedback de qualidade, bem como identificar ferramentas que possibilitam a gravação do mesmo em pequenos vídeos.

  • Instructor immediacy na relação aluno/docente (2.5 Horas) | 29 junho, 10:00 – 12:30

Instructor immediacy refere-se aos comportamentos verbais e não verbais que potenciam a proximidade do/a docente aos/às estudantes. Investigação nesta área comprova que este factor pode influenciar positivamente a confiança dos/as estudantes no/a docente, os resultados académicos, a satisfação com o curso e diminuir a ansiedade. Neste encontro iremos refletir que comportamentos promovem este aspeto em Ensino Remoto.

  • Zoom – truques e boas práticas para iniciantes (2.5 Horas) | 2 julho, 10:00 – 12:30 

A plataforma Zoom, utilizada pela Universidade de Lisboa, assume potencialidades que permitem maximizar a eficácia pedagógica nos momentos síncronos. Neste workshop iremos identificar configurações e funcionalidades úteis na utilização desta plataforma. 

Dada a situação epidemiológica originada pela Covid 19 e a consequente exigência de implementação de medidas excecionais e temporárias para prevenção da sua transmissão, a realização destas ações será a distância.

  • Active Learning em ensino remoto síncrono (2.5 Horas) | 22 junho, 14:00 – 16:30

A utilização de momentos ativos em sala de aula é referida como uma boa prática inegável no Ensino Superior, constando inclusive da lista dos Seven Principles For Good Practice in Undergraduate Education (Chickering & Gamson). Em ensino remoto é possível, em sessões síncronas, planear momentos ativos para potenciar a aprendizagem e aumentar o envolvimento dos estudantes.

Neste workshop iremos, assim, distinguir Active de passive learning, identificar estratégias de active learning passíveis de conduzir em aulas síncronas remotas e clarificar a diferença entre Ensino à distância (EaD) e Ensino remoto de emergência (ERE).

  • Como dar Feedback em pequenos vídeos (2.5 Horas) | 24 junho, 10:00 – 12:30

“It’s the quality of the feedback rather than its existence or absence that determines its power” (Stiggins et al, 2004). Como docentes no Ensino Superior dar feedback aos alunos, quer formativo quer sumativo, oralmente ou por escrito, é uma tarefa quotidiana. A utilização de tecnologias simples como a gravação de pequenos vídeos aumenta a eficácia desta tarefa, enquanto potencia a conexão com os estudantes, tão necessária no tempo que vivemos.

Neste workshop iremos, assim, nomear caraterísticas de um feedback de qualidade, bem como identificar ferramentas que possibilitam a gravação do mesmo em pequenos vídeos.

  • Instructor immediacy na relação aluno/docente (2.5 Horas) | 29 junho, 10:00 – 12:30

Instructor immediacy refere-se aos comportamentos verbais e não verbais que potenciam a proximidade do/a docente aos/às estudantes. Investigação nesta área comprova que este factor pode influenciar positivamente a confiança dos/as estudantes no/a docente, os resultados académicos, a satisfação com o curso e diminuir a ansiedade. Neste encontro iremos refletir que comportamentos promovem este aspeto em Ensino Remoto.

  • Zoom – truques e boas práticas para iniciantes (2.5 Horas) | 2 julho, 10:00 – 12:30 

A plataforma Zoom, utilizada pela Universidade de Lisboa, assume potencialidades que permitem maximizar a eficácia pedagógica nos momentos síncronos. Neste workshop iremos identificar configurações e funcionalidades úteis na utilização desta plataforma. 

Dada a situação epidemiológica originada pela Covid 19 e a consequente exigência de implementação de medidas excecionais e temporárias para prevenção da sua transmissão, a realização destas ações será a distância.

  •  120 minutos Pedagógicos - In-class Flip: A nova tendência pedagógica

Neste workshop iremos abordar esta nova abordagem que aplica os mesmos fundamentos do Flipped classroom – já confirmados pela investigação como tendo benefícios na aprendizagem – à dinâmica da sala de aula, sem trabalho autónomo extra-aula para os alunos.

Destinatários: Docentes e Investigadores da ULisboa

Duração: 2 horas | 1 sessão

Formador: Sofia Sá 
Mestre em Psicologia Educacional (especialidade Avaliação de aprendizagens; atualmente a frequentar o PhD Europeu EDITE – European Doctorate in Teacher Education), formadora pedagógica em regime de freelancer na Reitoria ULisboa, Reitoria UPorto, Politécnico de Leiria, Beja, Setúbal e Porto e formadora/consultora de Excel Avançado/ VBA em diversas empresas e institutos públicos. Atualmente Professora Auxiliar Convidada no Instituto Superior Técnico, onde leciona uma Unidade Curricular de soft skills no mestrado de Engenharia Informática. 
Desenvolveu formações técnicas e pedagógicas para alunos e docentes no IST e em outras instituições, conhecendo intimamente o Ensino Superior bem como as questões relacionadas com a aprendizagem, avaliação e dinâmicas educativas. Desenvolve investigação na área da implementação de novos métodos pedagógicos no Ensino Superior.

O ato de inscrição tem um custo associado de 30€.

  • 120 Minutos Pedagógicos - Active learning & Aulas teóricas: Uma díade transformadora no Ensino Superior

A utilização de momentos ativos em sala de aula é referida como uma boa prática inegável no Ensino Superior, constando inclusive da lista dos Seven Principles For Good Practice in Undergraduate Education (Chickering & Gamson). Os efeitos da sua aplicação em sala na aprendizagem dos alunos e numa nova dinâmica de sala de aula são amplamente referidos na investigação da área como determinantes. Neste workshop, iremos distinguir Active de Passive Learning e conhecer formas de aplicar este método em aulas teóricas.

Destinatários: Docentes da ULisboa

Formador: Sofia Sá 
Mestre em Psicologia Educacional (especialidade Avaliação de aprendizagens; atualmente a frequentar o PhD Europeu EDITE – European Doctorate in Teacher Education), formadora pedagógica em regime de freelancer na Reitoria ULisboa, Reitoria UPorto, Politécnico de Leiria, Beja, Setúbal e Porto e formadora/consultora de Excel Avançado/ VBA em diversas empresas e institutos públicos. Atualmente Professora Auxiliar Convidada no Instituto Superior Técnico, onde leciona uma Unidade Curricular de soft skills no mestrado de Engenharia Informática. 
Desenvolveu formações técnicas e pedagógicas para alunos e docentes no IST e em outras instituições, conhecendo intimamente o Ensino Superior bem como as questões relacionadas com a aprendizagem, avaliação e dinâmicas educativas. Desenvolve investigação na área da implementação de novos métodos pedagógicos no Ensino Superior.

  • 120 Minutos Pedagógicos – Mindmaps: Ferramenta de consolidação de conteúdos

A implementação de MindMaps, tanto da parte dos/as docentes como da parte dos/as estudantes potencia um novo olhar para os conteúdos, ao mesmo tempo que representa uma atividade indispensável em sala de aula. Existindo várias formas de implementar esta prática, abordaremos diversas ferramentas que facilitam a sua implementação.

Destinatários: Docentes da ULisboa

Formador: Sofia Sá   

Mestre em Psicologia Educacional (especialidade Avaliação de aprendizagens; atualmente a frequentar o PhD Europeu EDITE – European Doctorate in Teacher Education), formadora pedagógica em regime de freelancer na Reitoria ULisboa, Reitoria UPorto, Politécnico de Leiria, Beja, Setúbal e Porto e formadora/consultora de Excel Avançado/ VBA em diversas empresas e institutos públicos. Atualmente Professora Auxiliar Convidada no Instituto Superior Técnico, onde leciona uma Unidade Curricular de soft skills no mestrado de Engenharia Informática. 
Desenvolveu formações técnicas e pedagógicas para alunos e docentes no IST e em outras instituições, conhecendo intimamente o Ensino Superior bem como as questões relacionadas com a aprendizagem, avaliação e dinâmicas educativas. Desenvolve investigação na área da implementação de novos métodos pedagógicos no Ensino Superior.

  • Design Thinking (sessão de esclarecimentos)

A sessão tem como objetivo sensibilizar os docentes e estudantes de doutoramento para a existência de um conjunto de ferramentas e técnicas para pensar diferente, para ver novas oportunidades e para criar soluções inovadoras com impacto. Centrar-nos-emos na exploração dos princípios, conceitos e etapas do Design Thinking enquanto metodologia colaborativa e criativa de resolução de problemas. Serão igualmente dados exemplos de possibilidades de aplicação desta metodologia em contexto universitário. 
O Design Thinking desenvolve um processo intencional, de modo a chegar a soluções novas, relevantes e com um impacto positivo, contribuindo para aumentar a confiança nas capacidades criativas, mostrando como transformar desafios difíceis em oportunidades. O Design Thinking centra-se na pessoa (começa com uma profunda empatia e conhecimento das necessidades e motivações das pessoas), é colaborativo (beneficia, assim, de diversos pontos de vista e perspetivas e é um processo em que a criatividade de um reforça a criatividade de todos) e é otimista (acredita que todos podemos criar mudança – não importa quão grande é o problema, quão curto é o tempo ou quão baixo é o orçamento). 

Destinatários: Docentes e Estudantes de 3º ciclo da Universidade de Lisboa

Formadores: Joana Marques e Guilherme Vitorino
Joana Marques - é assistente convidada na licenciatura em Educação e Formação no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Integra a NOVA Inovação Pedagógica, unidade de Inovação Pedagógica e Desenvolvimento Profissional de Professores da Universidade Nova de Lisboa, como investigadora (organizando e fornecendo documentação para apoiar a prática pedagógica dos docentes) e como formadora de professores. Mestre em Educação (especificamente na área de Formação de Professores) e doutoranda na área Formação Pedagógica de Professores do Ensino Superior. Colabora nos cursos de formação de professores sobre planeamento, desenvolvimento e avaliação desenvolvidos pela Unidade de Inovação Pedagógica e Desenvolvimento de Pessoal da Universidade NOVA e em cursos desenvolvimento de competências transversais da Escola Doutoral da Universidade Nova de Lisboa. Atualmente é também consultora nas áreas da comunicação, liderança e gestão. 
Guilherme Vitorino - professor auxiliar convidado na NOVA IMS nas áreas de Marketing, Inovação e Gestão do Conhecimento e coordena duas Pós Graduações nas áreas da Saúde e Informações e Segurança. É ainda coordenador do curso de Design Thinking da Escola Doutoral da Universidade Nova de Lisboa tendo acompanhado alunos de doutoramento em processos de inovação disruptiva. Tem uma carreira de mais de 15 anos como responsável de marketing nos setores da Saúde, Media e Telecomunicações sendo formador certificado em Design Thinking e Change Management.

  • Comunicação em contexto educativo

Objetivos gerais:
| Reconhecer o papel da comunicação não verbal na transmissão e interação com os(as) alunos(as);
| Distinguir os componentes da comunicação não verbal;
| Identificar as funções da comunicação não verbal e reconhecer os momentos para a sua aplicação na prática letiva;
| Discriminar os diferentes momentos do ciclo interrogativo;
| Descrever as aplicações em sala de aula de diferentes métodos de questionamento;
| Definir feedback e seus componentes;
| Reconhecer boas práticas de transmitir feedback aos/às alunos/as, de forma a potenciar o seu carater formativo;
| Aplicar instrumentos que permitem transmitir feedback instantâneo;
| Distinguir os fundamentos e aplicações da comunicação positiva em sala de aula;
| Reconhecer o papel das expectativas na comunicação com os(as) alunos(as).

Formador: Sofia Sá
Psicóloga Educational (ISPA), formadora certificada (CCP) e qualificada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC), a Sofia Sá ministra formações desde 2003 em diversas áreas, tanto na área técnica como na área comportamental e pedagógica. Assume atualmente o papel de formadora em diversas instituições de Ensino Superior, onde ministra formações a Docentes, Alunos e Funcionários e é consultora externa quer em empresas, quer em institutos públicos.

  • Oficina de Trajetória de Vida

Trata-se de um projeto pioneiro luso-brasileiro que associa os estados ampliados da consciência (relaxamento, hipnose e mindfulness) aos protocolos da Psicologia Positiva, sendo resultado de perto de quatro décadas de prática clínica da psicóloga, Dr.ª Marisa Oliveira, e do psiquiatra Prof. Doutor Mário Simões. O projeto evoluiu da aplicação ao indivíduo, como psicoterapia breve, a grupos, na modalidade de Oficinas Trajetória de Vida. A Oficina Trajetória de Vida compreende oito momentos: 1.  Via Jubilosa (o melhor do passado). 2. Técnica Progressiva (viagem ao futuro positivo imaginado). 3. O corpo fala (escutar o que o corpo nos pede). 5. Resiliência (procurar e conhecer as nossas forças interiores). 6. Perdão e gratidão (perdão a si mesmo e, se possível, a outras pessoas; gratidão ao corpo, mestres, amigos e familiares que nos ensinaram algo). 7. Metamorfose (silencio interior, com reflexão sobre o vivenciado nas sessões anteriores). 8. Resignificar positivamente a vida (o projeto, que nasceu dos encontros).

Objetivos:
Procura-se proporcionar o bem-estar, melhoria da auto-estima e a saúde emocional, tendo como objetivo que o individuo resignifique positivamente sua vida. Potenciar o lado saudável do indivíduo, para que possa influenciar positivamente as suas relações interpessoais, familiares, profissionais e ambientais, resultando em uma melhor qualidade de vida e, naturalmente, em cidadania consciente é o grande objetivo do curso.

Formadores: 
Mário Simões: Professor Agregado de Psiquiatria na Faculdade de Medicina de Lisboa e Director dos Cursos de Pós-Graduação de Hipnose Clínica e Experimental da mesma. Fundador da Alubrat /Portugal (Associação Luso Brasileira de (Psicologia) Transpessoal) tendo sido seu Presidente. Fundador da Imaginal – Associação Portuguesa de Hipnose Clínica e Experimental – e Presidente da Assembleia-Geral da mesma Co-autor dos livros Psicologia da Consciência – Pesquisa e Reflexão em Psicologia Transpessoal e Hipnose Clínica – teoria, pesquisa e prática; 
Marisa Oliveira: Psicóloga pela UFMG (Brasil) em 1984, com equivalência profissional pela Universidade de Lisboa (1994), Executive Master em Psicologia Positiva Aplicada (Universidade de Lisboa), Doutoranda em Psicologia Positiva – Lisboa, Pós-graduada em Hipnose Clínica e Terapia de Reestruturação Vivencial e Cognitiva(TRVC) pela Faculdade de Medicina de Lisboa, Formação em Auto-Hipnose pelo London  College   of Clinical Hypnosys.

  • Escrita criativa no trabalho académico

O trabalho académico de investigação – uma tese, um artigo para publicação em revista científica – envolve a sua descrição, ou parte dela, numa linguagem adequada à comunidade científica e académica de referência. A representação de ideias, de conceitos e de resultados através de uma narrativa visa a compreensão dos pontos essenciais da investigação que é relatada, mas também do seu sentido global e da forma como a voz dos investigadores é colocada. Neste workshop, os participantes são imersos no espírito da escrita criativa como forma de representar o trabalho científico, tomando contacto com estratégias que proporcionem clareza e sentido à representação de ideias. Através de exemplos e de exercícios de escrita criativa, com utilização de ferramentas de storytelling, os participantes são levados a desenvolver estratégias de narrativa e aprendem a aplicá-las na escrita científica.

(Requisitos: computador pessoal)

Formadores: João Matos: argumentista, professor de escrita criativa, script doctor; Raquel Palermo: escritora, argumentista, formadora​ João Filipe Matos, Professor Catedrático do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

  • Estratégias de comunicação para docentes

Objetivos:
A comunicação é uma ferramenta essencial no Ensino e na relação Docente-Estudante. As estratégias comunicacionais inerentes são várias e compõem um leque variado e indispensável para qualquer interveniente do Sistema Educativo. Com esta ação de formação, pretende-se que os/as participantes adquiram e/ou aprofundem estratégias que potenciem a sua eficácia educativa.

Formador: Sofia Sá (Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa – Gabinete de Apoio ao Tutorado) Psicóloga Educational (ISPA), formadora certificada (CCP) e qualificada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC), a Sofia Sá ministra formações desde 2003 em diversas áreas, tanto na área técnica como na área comportamental e pedagógica. Assume atualmente o papel de formadora em diversas instituições de Ensino Superior, onde ministra formações a Docentes, Alunos e Funcionários e é consultora externa quer em empresas, quer em institutos públicos. 

  • Tecnologias Móveis em Sala de Aula

Objetivos:

O Workshop pretende promover a utilização de tecnologias móveis no ensino, contribuindo para estimular a aprendizagem, aumentar a assiduidade e potenciar o envolvimento dos estudantes nas unidades curriculares e na avaliação.

Neste workshop, os participantes irão criar questionários/testes online para posterior utilização em contexto de sala de aula, recorrendo a aplicações móveis específicas. A gestão das respostas será também uma das componentes a ser explorada durante o workshop (ex.: exportação em Excel), assim como o contributo deste tipo de soluções para a avaliação.

Formador: Equipa e-Learning Lab

  • Técnicas de Voz - Respirar o Texto e projetá-lo!

Objetivos:
| Consciencializar os diferentes tipos de respiração e a relação estrita destes com o corpo e emissão vocal.
| Executar com destreza os diferentes tipos de respiração e âncoras de apoio físico-vocal, consciencializando as suas implicações físicas na fala e na projeção no espaço.
| Compreender e executar a estrutura dos pontos de foco da voz bem como dos pontos de articulação, integrados no corpo.
| Praticar os objetivos anteriores num texto em prosa com vista à sua aplicação na oralidade espontânea.

Formador: João Henriques: professor de Voz  na Escola Superior de Teatro e Cinema (Lisboa), na Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo (Porto)  e na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. Mestre em Ensino da Música – especialidade em ensino do Canto - pela Escola das Artes da Universidade Católica do Porto. Pós-graduado em Ópera e Estudos Músico-Teatrais, pela ESMAE, e curso superior de Canto da ESML. Colaborador residente no Teatro Nacional São João de 2003 a 2014, tendo sido responsável pela preparação vocal e elocução de múltiplas produções da casa, dirigindo diversas oficinas de técnica vocal.

  • Mindfulness

Objetivos:
| Fornecer aos participantes um suporte teórico-prático que possibilite a compreensão do que é a meditação mindfulness, dos seus benefícios e formas de operacionalização;
| Treino prático da meditação mindfulness.

Formador:  Jaime Ferreira da Silva (Managing Partner da Dave Morgan – health & management consultants. Coordenador e Docente da Pós-Graduação em Coaching Psicológico na Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa. Psicoterapeuta e Coach em prática privada)

  • Gestão do Stress

Objetivos:
| Fornecer aos participantes um suporte teórico-prático que possibilite a compreensão do que é o stress e como se manifesta corporal e mentalmente.
| Avaliar o nível de risco psicossocial dos participantes através da aplicação de um questionário (COPSOQ II) de referência internacional e aferido para a população portuguesa.
| Fornecer estratégias de coping face ao stress e de promoção do bem-estar laboral.
 

Formador:  Jaime Ferreira da Silva (Managing Partner da Dave Morgan – health & management consultants. Coordenador e Docente da Pós-Graduação em Coaching Psicológico na Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa. Psicoterapeuta e Coach em prática privada)

  • Iniciação à prática pedagógica para novos docentes

O objetivo deste curso é apoiar o desenvolvimento docente, incentivando a reflexão sobre estratégias de ensino que podem ser utilizadas no ES. Pretendem-se discutir as várias fases do processo, desde a construção e planificação de uma unidade curricular, passando pelas estratégias de ensino aprendizagem, à avaliação e classificação, e à supervisão/orientação individual. Assumindo que o mais importante é o que os estudantes aprendem e que a eficácia do ensino é resultado sobretudo do que o estudante faz, enfatizam-se estratégias de participação e envolvimento ativos dos estudantes na sua própria aprendizagem.

Alguns tópicos a abordar incluem: definição de metas curriculares e objetivos de aprendizagem; planificação de atividades de aprendizagem; seleção e desenvolvimento de materiais para apoiar o curso; gerir debates, levantando problemas, ouvindo e questionando; estilos de aprendizagem; aprender através da escrita: artigos, diários e relatórios; aprendizagem experimental: laboratórios, trabalho de campo e pesquisa colaborativa; aprendizagem pelos pares, a aprendizagem colaborativa e aprendizagem cooperativa; aprendizagem baseada em projetos: ensino com casos, simulações e jogos; estratégias de avaliação: feedback, acompanhamento e promoção da aprendizagem, classificar; últimas aulas e avaliações dos professores; supervisão e orientação individuais (em pequeno grupo?).

Formador: Luís Tinoca  e Jorge Ramos do Ó (Instituto de Educação da Universidade de Lisboa)

  • Supervisão e Orientação de Teses  

Estas duas sessões destinam-se a apoiar o trabalho docente no que diz respeito a uma tarefa necessariamente teórica e prática, mas em última instância de natureza pedagógica, que consiste em perceber como passar de um sistema de ensino superior baseado na transmissão de conhecimentos para outro assente no desenvolvimento de competências. As duas sessões focalizam-se nos 2º e 3º ciclos, que visam uma aprendizagem orientada para a investigação de alto nível. Procurar-se-á aprofundar o conhecimento em torno dos dois pilares que sustentam a mudança paradigmática – a instituição do ‘seminário’ e de práticas de ‘escrita académica’ inventiva.
Não obstante as profundas transformações ocorridas no tecido do ensino superior português nas últimas décadas, visíveis mormente no avanço sustentado dos estudos pós-graduados, o debate sobre a ligação entre a universidade e a ciência permanece em Portugal aberto e, a vários títulos, ainda um debate mal resolvido. Uma importante explicação encontra-se, naturalmente, na estrutural resistência à mudança decorrente de velhos hábitos de trabalho instalados, muito mais focados na ‘conservação, acumulação e transmissão’ do saber disciplinar do que propriamente nas dinâmicas que sustentam a sua a ‘ideação e construção’ de novos objetos e territórios científicos. A questão central na melhoria dos níveis de qualidade da formação e da supervisão na pós-graduação passa, fundamentalmente, por enquadrar o estudante num ambiente propício ao desenvolvimento de práticas inovadoras.

Formador: Jorge Ramos do Ó (Instituto de Educação da Universidade de Lisboa)

  • Sucesso e Qualidade da Aprendizagem – No Ensino Superior

Esta ação inicia-se por uma análise do problema do (in)sucesso e da (reduzida) qualidade da aprendizagem no ensino superior. Prossegue para uma análise dos fatores conhecidos desse problema, com ênfase nas abordagens dos estudantes à aprendizagem e no que as influencia.
De seguida, e incidindo no tema principal, a acção possibilitará a exploração teórico-prática de como os docentes de ensino superior podem proporcionar um ambiente de aprendizagem que estimule, nos seus alunos, a utilização de uma abordagem para o sucesso e a qualidade da aprendizagem.

Formador: Prof. Doutor António Duarte (Faculdade de Psicologia)

  • Avaliação: Conceitos e práticas

A ação de formação “Avaliação: Conceitos e Práticas” tem como principal objetivo abordar estratégias facilitadoras da planificação, construção e correção de instrumentos de avaliação (testes, exames). A ação está estruturada em 4 módulos:
Módulo I: Planificação da Avaliação – O que é avaliar? Como planificar a minha a minha avaliação?
Módulo II: Construção de instrumentos avaliativos – Quais as vantagens e desvantagens de cada tipo de questão? Como construir questões eficazes?
Módulo III: Correção – Quais as melhores práticas para corrigir? Como diminuir a subjetividade avaliativa?
Módulo IV: Oficina Prática – Aplicação dos conhecimentos na construção de um exame/frequência?

Formador: Mestre Sofia Sá (Gabinete de Apoio ao Tutorado, IST), Psicóloga Educational (ISPA), formadora certificada (CCP) e qualificada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC), a Sofia Sá ministra formações desde 2003 em diversas áreas, tanto na área técnica como na área comportamental e pedagógica. Assume atualmente o papel de formadora em diversas instituições de Ensino Superior, onde ministra formações a Docentes, Alunos e Funcionários e é consultora externa quer em empresas, quer em institutos públicos. 

  • Planificação de ambientes em e-Learning

O Workshop Planificação de Ambientes em e-Learning pretende que os docentes e investigadores da ULisboa desenvolvam competências de estruturação de: - ambientes presenciais enriquecidos tecnologicamente (Technology-enhanced Learning); - ambientes online síncronos; - ambientes online assíncronos; - ambientes para b-learning. Ao longo do workshop serão explorados alguns conceitos base na área do e-learning (b-learning, TeL, virtual classrooms e comunicação síncrona, etc.) e abordadas linhas de orientação que ajudem os docentes a refletir em torno dos desafios propostos. No final deste workshop espera-se que os docentes sejam capazes de planificar um módulo de um curso em diferentes ambientes de aprendizagem de e-learning, identificando as oportunidades e limitações de cada um dos ambientes.

Formador: Equipa e-Learning Lab

  • Formulação de objetivos de aprendizagem

O objetivo deste curso é apoiar o desenvolvimento docente, incentivando a reflexão sobre objetivos de aprendizagem no ES. Pretendem-se discutir as várias fases do processo de formulação de objetivos de aprendizagem, bem como discutir diversas tipologias subjacentes à sua construção.

Alguns tópicos a abordar incluem: o que é um objetivo de aprendizagem? Objetivos gerais vs. Objetivos específicos; importância dos objetivos de aprendizagem; como formular objetivos de aprendizagem; componentes dos objetivos de aprendizagem; exemplos de objetivos de aprendizagem; categorias de aprendizagem; e construção de objetivos de aprendizagem.

Formadores: Luís Tinoca  e Marta Almeida (docentes do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa)

  • Inteligência Emocional e Coaching Psicológico

Coaching é uma relação de ajuda assegurada por um coach, desenvolvida com população não-clínica, orientada por objectivos de desenvolvimento profissional e/ou pessoal do coachee/cliente e, consequentemente, focada em soluções e resultados.

Ao lidar com pessoas no âmbito da sua complexidade biopsicossocial, ajudando-as a obter mudanças sustentadas, o Coaching é, de facto, uma área da Psicologia, devendo a intervenção do Coach ser baseada em teorias e modelos psicológicos. (adapt. Grant & Palmer, 2002).

A Ordem dos Psicólogos Portugueses em 2015, elegeu o Coaching Psicológico como especialidade avançada no âmbito da intervenção dos Psicólogos na área da Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações. 

Formador: Jaime Ferreira da Silva (Managing Partner da Dave Morgan – health & management consultants. Coordenador e Docente da Pós-Graduação em Coaching Psicológico na Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa. Psicoterapeuta e Coach em prática privada)

  • Instrumentos de avaliação: Planificação, conceção e correção

Propõe-se, com esta ação de formação, abordar estratégias facilitadoras deste componente essencial da prática educativa: a Avaliação.

Módulo 1 – Introdução: Conceitos fundamentais. Tipos de Avaliação
Módulo 2 – Planificação: Fases da Planificação. Objetivos de aprendizagem
Módulo 3 – Conceção: Aplicabilidade, vantagens e desvantagens dos diferentes tipos de questões. Dicas de construção
Módulo 4 – Correção: A subjetividade na avaliação. Critérios de avaliação
Módulo 5 - Avaliação de trabalhos de grupo: Objectivos e constrangimentos. Práticas inovadoras

Formador: Sofia Sá (Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa – Gabinete de Apoio ao Tutorado), Psicóloga Educational (ISPA), formadora certificada (CCP) e qualificada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC), a Sofia Sá ministra formações desde 2003 em diversas áreas, tanto na área técnica como na área comportamental e pedagógica. Assume atualmente o papel de formadora em diversas instituições de Ensino Superior, onde ministra formações a Docentes, Alunos e Funcionários e é consultora externa quer em empresas, quer em institutos públicos. 

  • Challenge-based Learning e Design Thinking

Esta será uma formação teórico-prática que terá como objetivo apresentar o conceito de challenged-based learning (CBL), enquadrando as suas principais vantagens e formas de implementação no contexto académico, bem como o de design thinking enquanto metodologia estruturante e útil na prossecução de abordagens CBL.

A componente prática da formação terá como objetivo consolidar os conceitos apresentados e proporcionar tempo de reflexão e trabalho colaborativo entre os participantes que conduza à definição de estratégias para que estes possam incorporar CBL nas suas unidades curriculares.   

Formadora: Rita Tomé Rocha 

  • Criação de Slides em Microsoft PowerPoint: Procedimentos e Dicas

A utilização de slides em Microsoft PowerPoint constitui parte do quotidiano da atividade docente. Com a limitação do tempo dedicada à exploração do programa, é natural que as funcionalidades utilizadas sejam as essenciais, que permitem aparentemente resultados seguros. Com as diversas atualizações, o PowerPoint apresenta atualmente funcionalidades inovadoras, completas e facilitadoras da criação de slides eficazes e potenciadores de uma melhor comunicação visual.

Neste workshop, iremos abordar técnicas eficazes de criação de slides em PowerPoint, com o objetivo de tornar mais apelativas as apresentações disponibilizadas aos alunos.

Formadora: Sofia Sá

  • Workshop Moodle Nível Inicial

O Workshop foi concebido para promover competências básicas de utilização da plataforma Moodle, em contextos de ensino e formação, para organizar e estruturar espaços de suporte online a unidades curriculares.

Formadores: João Piedade e Nuno Dorotea

  • Respiração e Manifestação da Voz e do Discurso

O módulo 1 deste ciclo de formações em Técnicas de Voz pretende fornecer uma introdução prática e teórica aos fundamentos da consciência performativa do conceito de Corpo-Voz: a presença vocal dinâmica, interativa e consciente do docente e das suas competências comunicacionais em contexto de sala de aula ou de conferências académicas.

Direcionada para o desenvolvimento da atenção à relação estreita e condicionada do corpo com a voz propõe-se constituir o seu mapeamento sensorial e auditivo preciso, fortalecendo, deste modo, a destreza e coordenação dos seus principais elementos constitutivos: a presença e a postura físicas no espaço; a respiração e a sua integração consciente no processo da enunciação e do proferimento; a convocação deliberada da colocação e a coloração vocais, de mão dada com a convocação imagético-sensorial da palavra; o apuro da clareza articulatória do discurso; e a perceção lúcida da escuta, quer do outro, quer do próprio, no espaço acústico, numa sinergia relacional com os interlocutores.

Através de uma série de exercícios físico-vocais e de enunciação textual, constituir-se-á uma prática cuja intenção pretende munir o docente de ferramentas autónomas para a sua aplicação individual nos seus vários contextos de trabalho académico.

Formadores: João Henriques

  • Workshop Moodle Nível Intermédio

O Workshop foi concebido para promover competências mais avançadas de utilização da plataforma Moodle, em contextos de ensino e formação, nomeadamente através da exploração de ferramentas de comunicação síncrona e assíncrona, criação de inquéritos e questionários, gestão de trabalhos e gestão de notas.

Formadores: João Piedade e Nuno Dorotea

  • O Poder da Avaliação Contínua

Os conceitos de avaliação contínua, formativa e sumativa são pontualmente utilizados de forma indiscriminada, tornando ainda mais desafiante a tomada de decisão de que tipo de avaliação aplicar em que contexto e que instrumentos utilizar para favorecer a justiça, a transparência e a aprendizagem.

Neste workshop debruçar-nos-emos sobre os conceitos subjacentes ao processo avaliativo, abordaremos diferentes modalidades de avaliação aplicáveis ao Ensino Superior e, em específico, analisaremos possíveis aplicações de avaliação contínua em diferentes contextos.

Formadora: Sofia Sá

  • Aprendizagem colaborativa com Jigsaw

A atividade Jigsaw foi desenvolvida no início dos anos 79 por Elliot Aronson e os seus colegas e, desde então, tem se tornado popular em vários níveis de ensino, nomeadamente no superior. Ao promover cooperação entre os diferentes elementos do grupo turma, que se interajudam para alcançar um objetivo comum enquanto trabalham o conteúdo proposto, esta atividade promove competências de colaboração, aprendizagem ativa e participação equalitária dos diversos membros.

Neste workshop vamos abordar os procedimentos, etapas e boas práticas de implementação de Jigsaw nas nossas salas de aula. 

Formadora: Sofia Sá

  • Workshop Moodle – Ferramentas de Avaliação (Testes, Questionários, Inquéritos, etc.)

O Workshop foi concebido para promover competências mais avançadas de utilização da plataforma Moodle, em contextos de ensino e formação, nomeadamente através da exploração de ferramentas de comunicação síncrona e assíncrona, criação de inquéritos e questionários, gestão de trabalhos e gestão de notas.

Formadores: João Piedade e Nuno Dorotea